a Bombinhas em Foco ( 18/12/2017 ) a

Companheiros de areia

Com gostos que vão do romance à ciência, turistas contam quais são os livros preferidos para levar à praiaOdia estava nublado. O sol timidamente insistia em raiar por entre as nuvens que cobriam o mar da Praia de Bombinhas. Na areia, cadeiras de praia e guarda-sóis serviam de apoio para o aconchego da leitura, que viajava do romance à ciência, nas mãos de mulheres, homens, idosos, jovens e até crianças. Numa roda familiar, a bióloga Giovana Ruppenthal, 43 anos, o marido, os filhos e cunhados, de Três Coroas (RS), trocavam ideias e discutiam as leituras dos companheiros em frente ao mar: De Pernas Pro Ar, de Eduardo Galeano, que Giovana estava lendo, e A Parisiense, de Inès de la Fressange, que prendia a atenção da cunhada dela, Anelise Ruppenthal, 52, vendedora.

– Eu rio e choro quando leio, dependendo da história. O livro realmente é um companheiro. É um momento de encontro. Faz parte da nossa vida. Já cheguei a ler 30 livros por ano – afirmou Giovana, enquanto segurava firmemente o livro nas mãos e olhava rapidamente para as palavras das páginas abertas.

A família comentava a leitura que Giovana fazia do livro, que já veio na bagagem – trata das diferenças entre o rico e o pobre e de um mundo de contradições.

Foi num ambiente de leitura que cresceram os dois filhos dela: a designer Maiara, 24, e Vinicius, 18, estudante. Eles têm mais de 100 livros em casa, que são inspiração para a diversão e a troca de ideias em uma roda de amigos ou familiares. A bióloga comenta que gosta de vários estilos de leitura e indica as crônicas de Martha Medeiros. Um dos livros marcantes dela foi Feliz Ano Velho, de Marcelo Rubens Paiva, que leu na adolescência.

– O barulho das ondas do mar, dos passarinhos, o cheiro de praia, dos protetores solares. Dá vontade de ficar lendo o dia inteiro. Livro e praia são uma ótima combinação – afirmou Giovana.

– Ler é uma roda para impulsionar. É uma chama que precisa ser mantida acesa – acrescentou o marido de Giovana, Fábio Alberto Ruppenthal, 46, secretário executivo.

Leitura que cativa

O hábito da leitura não era tão comum no dia a dia do estudante Pedro Vitor Brunello Pagliarien, 16, de Caxias do Sul (RS), que passa as férias com a família em Bombinhas. No cenário inspirador com o barulho do mar, ele começou a ler o segundo livro da trilogia Jogos Vorazes, Em Chamas, de Suzanne Collins. Na tarde do dia em que abriu o livro, consumiu 92 das 413 páginas.

– Não consigo mais parar de ler. A leitura está cada vez mais despertando o meu interesse. É muito relaxante – comentou, ao som de Nickelback no fone de ouvido, depois de alternar um banho de mar com a leitura.



Fonte: JORNAL DE SANTA CATARINA (Blumenau – SC)

 

 

 

 

 

 

banner

Copyright © 2007 Todos os Direitos Reservados - Fazendo Site